Blog

  • Pequenos Grandes Heróis – E Aí?

    28 de dezembro de 2020

    Pequenos Grandes Heróis – E Aí?

    Pequenos Grandes Heróis – E Aí?

    Robert Rodriguez tem obras incríveis no currículo, como A Balada do Pistoleiro, Um Drink no Inferno, Era uma Vez no México, Planeta Terror (do projeto Grindhouse de Rodriguez e Quentin Tarantino), Sin City e Machete. Mas também tem no currículo a série de filmes Pequenos Espiões (que eu gosto muito) e o sensacional As Aventuras de Sharkboy e Lavagirl, que mostrou ao mundo o futuro Jacob Black da saga Crepúsculo Taylor Lautner. E quinze anos depois de Sharkboy e Lavagirl, Rodriguez resolveu revisitar esse mundo, mas de um jeito diferente.

    Pequenos Grandes Espiões (uma tradução um bocado duvidosa de We Can Be Heroes) traz o mundo cheio de heróis, como Miracle Guy (Boyd Holbrook), Tech-No (Christian Slater), Blinding Fast (Sung Kang), Ms. Vox (Haley Reinhart), Crimson Legend (J. Quinton Johnson), Red Lightning Fury (Brittany Perry-Russell) e, claro, Sharkboy (Jeffrey J. Dashnaw) e Lavagirl (Taylor Dooley), todos capitaneados por Marcus Moreno (Pedro Pascal). Mas uma invasão alienígena leva à queda dos heróis, que são capturados. Resta então aos filhos dos heróis, mesmo sem estarem ainda prontos, irem ao resgate e impedirem uma invasão geral. E o elenco de garotos e garotas está excelente, mesmo com nomes desconhecidos: YaYa Gosselin é Missy Moreno, Lyon Daniels é Noodles, Andy Walken é Wheels, Hala Finley e Ojo, Lotus Blossom é A Capella, Dylan Henry Lau e Slo-Mo, Andrew Diaz é Facemaker, Isaiah Russell-Bailey e Akira Akbar são os irmãos Rewind e Fast Forward, Nathan Blair é Wild Card e Vivien Lyra Blair é Guppy (pra mim a maior surpresa do elenco).

    O filme não tem grandes pretensões (como todos os outros do gênero de Rodriguez), mas é divertidíssimo! E indo no estilo de poderes de Sharkboy e Lavagirl, as crianças tem poderes bastante inteligentes, desde visão futura transmitida por desenhos de Ojo ao poder de avançar e voltar o tempo de Fast Forward e Rewind, que em conjunto é capaz de coisas muito interessantes! Mas é Guppy, a filha de Sharkboy e Lavagirl, quem rouba o show: controlando água (parecida com Mera em Aquaman) e o chamado Shark Frenzy (que foi traduzido como Frequência Tubarão), em que ela basicamente entra em modo berserk. Só que ela é uma garotinha de uns cinco ou seis anos, e isso fica ao mesmo tempo fofo e incrível! E é o filme com melhores efeitos dessa série mais infantil de Rodriguez, o que é uma ótima notícia!

    Eu recomendo? Sim, com certeza. Mas não é todo mundo que vai gostar como eu, isso também é certeza. Mas se você gosta da série Pequenos Espiões e, principalmente, de As Aventuras de Sharkboy e Lavagirl, veja sem medo e de coração aberto!

    Postado por Will Sparrow

    Avatar do Caos, otaku da velha guarda, brony nas horas vagas.