Blog

  • O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio- E Aí?

    5 de novembro de 2019

    O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio- E Aí?

    Exterminador do Futuro é uma franquia intrigante. Depois de dois filmes excelentes (principalmente o segundo, pra mim um dos melhores filmes de todos os tempos) o diretor James Cameron saiu da brincadeira, e o que vimos depois foi uma bagunça completa. No terceiro filme Sarah Connor (Linda Hamilton) está morta, e o Exterminador (Arnold Schwarzenegger) volta para proteger não mais John Connor, mas outra pessoa. Foi um filme divertido, mas longe do que vimos nos outros filmes. O quarto filme, finalmente, se passa no futuro onde as máquinas dominam após o Dia do Julgamento (que ocorre no final do terceiro filme). John Connor (Christian Bale) é o líder da resistência humana, e o jovem Marcus (Sam Worthington) aparece como uma incógnita, até se mostrar um novo tipo de Exterminador enviado para matá-lo. Tem uma boa premissa, mas também falha no geral. O quinto filme é a maior bagunça de toda a saga. John Connor (Jason Clarke) envia novamente Kyle Reese (Jai Courtney) para o passado para proteger Sarah Connor (Emilia Clarke). Só que ela já estava sendo protegida por um Exterminador (sempre Schwarzenegger), e eles encaram um novo T-1000 (Byung-Hun Lee) e uma Skynet que parece se adiantar a todos, inclusive usando John Connor como arma.

    Isso tudo agora é desconsiderado com o novo filme. “Destino Sombrio” é uma sequência direta de “O Julgamento Final”. Grace (Mackenzie Davis) é enviada ao passado para proteger Dani Ramos (Natalia Reyes) de ser morta por um novo tipo de Exterminador, chamado REV-9 (Gabriel Luna). Sarah Connor aparece quando elas estão sendo atacadas pelo Exterminador e as ajuda a tentar escapar. Elas então acabam indo atrás de ajuda, e encontram um Exterminador do modelo T-101 (o eterno Schwarenegger), que parte junto com elas para combater REV-9 e salvar Dani.

    O filme mantém o padrão de sempre: alguém volta ao passado para proteger alguém de algum Exterminador. Mas o retorno de Sarah Connor coloca um novo (e excelente) ingrediente nessa receita. Ele se sobressai certa e facilmente a qualquer sequência desde “A Rebelião das Máquinas”, de 2003, mas mesmo assim não consegue replicar a experiência incrível do filme de 1991. O novo Exterminador é com certeza o mais letal até então, por misturar o endoesqueleto metálico com algo parecido ao T-1000 na mesma máquina, e Gabriel Luna manda bem demais no papel. Mackenzie Davis e Natalia Reyes fazem uma excelente dupla. Mas é Linda Hamilton, com uma Sarah Connor amargurada, quem rouba a cena. Ela está badass como nunca e traz de volta parte da energia que parecia perdida na franquia. E o Exterminador de Schwarzenegger carrega uma nova faceta que vale a pena descobrir.

    Um filme que vale muito pra quem é fã rever Sarah Connor e que, finalmente, honra como sequência a “O Julgamento Final”.

    Postado por Will Sparrow

    Avatar do Caos, otaku da velha guarda, brony nas horas vagas.